Um comentário do ex-presidente norte-americano Barack Obama sobre as manifestações de supremacistas brancos em Charlottesville, Virgínia, se tornou o tweet mais curtido da história. A primeira de uma série de três mensagens citando Nelson Mandela superou a marca de 3,1 milhões de reações em apoio.




O post mostra Obama sorrindo para uma janela onde estão crianças negras, asiáticas e brancas. A frase completa, atribuída ao ex-presidente sul-africano e ícone da luta contra o apartheid Nelson Mandela, diz, em tradução livre: “Ninguém nasce odiando outra pessoa por causa da cor de sua pele, sua origem ou sua religião. As pessoas aprendem a odiar, e se elas aprendem a odiar, podem aprender a amar também. O amor é mais natural ao coração humano do que o ódio.”

Antes, o tweet mais curtido da história era a mensagem da cantora Ariana Grandepublicada logo após o atentado terrorista em seu show em Manchester, Inglaterra, que deixou 23 mortos e 250 feridos.

A publicação de Obama também é a quinta em número de retweets, de acordo com o Favstar, site que dá estatísticas de popularidade na rede social. Os outros quatro, para matar sua curiosidade, são, em ordem crescente:

Como nota o Verge, a postura de Obama contrasta com a do atual presidente dos EUA, Donald Trump. Na ocasição dos confrontos entre supremacistas brancos e manifestantes contrários, sua conta no Twitter, sempre tão ativa, permaneceu “calada”. Horas depois dos acontecimentos, o presidente finalmente se manifestou e foi duramente criticado por atribuir os incidentes de violência a “todos os lados”.