O YouTube anunciou que mais de 50 canais foram removidos na última semana e 3,5 milhões de vídeos deixaram de ser monetizados por infringirem as regras do portal de vídeos.
As informações foram divulgadas pelo vice-presidente do YouTube, Johanna Wright, em uma publicação no blog oficial do serviço em reposta a um nova crise com anunciantes.
Lidl, Cadbury (Mondelez), Mars e outras empresas removeram suas publicidades do YouTube depois que o jornal Times descobriu que o YouTube mostrava vídeos de “crianças seminuas” junto aos anúncios.

Em resposta aos novos acontecimentos, um porta-voz do YouTube disse que a situação era “inaceitável”. A empresa também reconheceu precisa fazer mais, incluindo “a aprendizagem de máquina e aumento dos recursos humanos e técnicos”.

Os representantes da marca Mars disseram que o corte na publicidade afeta tanto o YouTube quanto a busca do Google.

Via Reuters