Assim como os transistores são a base da eletrônica atual, tudo indicava que os memoristores se tornariam a base da computação neuromórfica, a computação baseada em processadores que imitam a forma como o cérebro humano trabalha.

Mas a coisa pode ser melhor do que se pensava.
Acaba de nascer o primeiro "memotransístor", um híbrido de transístor e memoristor - portanto, um transístor com memória - que funciona de forma parecida com um neurônio, com a vantagem de poder operar tanto no processamento como no armazenamento de informações.

Com características combinadas de um memoristor e de um transístor, o memotransístor possui múltiplos terminais, o que permite que ele opere de forma mais semelhante a uma rede neural e suas múltiplas sinapses - um memoristor, que é um resistor com memória, tem dois terminais, enquanto um transístor tem três.

Transístor com memória monoatômico

O memotransístor foi construído com molibdenita (MoS2 - dissulfeto de molibdênio), um semicondutor formado por uma única camada atômica e com limites de grânulos bem definidos em sua rede cristalina, que influenciam o fluxo da corrente elétrica.

leita tudo