De acordo com uma pesquisa levantada pelo psicólogo Patrick Markey, cerca de 80% dos atiradores em massa não mostraram interesse em games violentos, contrariando a crença reacendida por Donald Trump de que jogos do gênero influenciam no comportamento dos jovens.

Essa informação é endossada pela Entertainment Software Association, a ESA, que comunicou a Trump que há "numerosos estudos científicos que demonstram não haver conexão entre videogame e violência". Curiosamente, Markey concluiu que assim que um novo jogo violento é lançado, a taxa de crimes.

Por outro lado, também há críticas sobre o aparecimento de armas específicas em videogames, como o rifle de assalto Remington em Call of Duty. Nesse caso, diversos pais de alunos mortos durante o massacre do colégio Sandy Hook em 2012 alegam que o atirador, Adam Lanza, tomou conhecimento sobre a arma de fogo ao jogar o game.