Em um contexto após o escândalo do abuso de dados como arma política e a influência russa nas eleições dos EUA. O Facebook anunciou novas medidas de transparência para anúncios exibidos na rede social. A principal delas é sobre as propagandas políticas e eleitorais.

A partir de julho no Brasil, anúncios de candidatos no Facebook serão categorizados como políticos e agregados em um arquivo de propaganda eleitoral. A novidade será em duas fases: primeiramente com uma inscrição dos políticos, em julho, e para visualização dos usuários em agosto, quando começa oficialmente a campanha eleitoral no Brasil.


Chamada "Categorização de Anúncios Políticos", a novidade quer trazer informações mais claras aos eleitores no período que antecede o pleito de outubro, que elegerá o novo presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais em todo o país. Tal ferramenta foi implementada primeiramente nos Estados Unidos, em maio.

O Brasil é o segundo país a usá-la. "É uma ferramenta nova, então ainda estamos vendo mais detalhes e devemos obter mais feedback para aperfeiçoar", disse a chefe operacional Sheryl Sandberg.

A divulgação da novidade ocorreu por videoconferência para jornalistas nos escritórios do Facebook em São Paulo, Menlo Park, Nova York e Cidade do México. Segundo Sandberg, a rede social vem aumentando bastante seus esforços para reduzir abusos na rede social desde 2016, ano em que Donald Trump foi eleito presidente dos EUA.