A menos de duas semanas do resultado final das eleições brasileiras, o Facebook acaba de anunciar que está expandindo as políticas da rede social para evitar a supressão, ou o cancelamento, de votos por informações que possam levar potenciais eleitores ao erro, seja por memes, brincadeiras ou propositalmente.

Como parte dos nossos esforços contínuos para evitar que as pessoas usem o Facebook de forma indevida durante as eleições, estamos ampliando nossas políticas contra a supressão de eleitores – que são ações destinadas a desencorajar ou impedir que as pessoas votem. 

Essas atualizações foram criadas para lidar com novos tipos de abuso que estamos vendo online.

É possível que brasileiros já tenham se deparado com algo do mesmo estilo durante estas eleições decisivas para presidente de 2018, e exatamente por estas questões o Facebook começa a expandir as políticas da rede: "no mês passado, ampliamos essa política e agora proibimos distorções sobre as maneiras de votar, como solicitações para que você vote via mensagem de texto e declarações não-oficiais sobre contagem de votos."

A nota à imprensa revela ainda que a rede de Mark Zuckerberg incorporou "uma nova opção de denúncia no Facebook para que as pessoas possam nos informar caso vejam informações de votação que possam estar incorretas, e configuramos também canais de comunicação dedicados para as autoridades eleitorais do governo, para que possam fazer o mesmo."