Em um movimento considerado surpreendente por muitos, a Microsoft anunciou (10) a sua entrada na Open Invention Network (OIN). Com isso, a empresa vai compartilhar praticamente todo o seu portfólio de patentes com outras empresas e desenvolvedores de projetos de código aberto, protegendo especialmente quem trabalha com o Linux de processo judiciais envolvendo propriedade intelectual.

Para isso, a Microsoft abriu mais de 60 mil de suas patentes, tendo mantido fechadas apenas aquelas referentes ao Windows desktop e algumas aplicações também desenvolvidas para esse segmento.

Dessa maneira, deixará de ganhar bilhões de dólares com licenciamento de patentes para fabricantes de smartphones Android, por exemplo.

Só em 2014, a empresa de Bill Gates lucrou US$ 3,4 bilhões com o licenciamento de patentes de software para empresas como a Samsung. Com sua participação na OIN, a empresa deixará de ganhar essa receita, mas também terá acesso gratuito às centenas de milhares de patentes de outras companhias.