Percentual de mulheres que ainda não escolheu um presidenciável é maior que o dos homens. Campanhas fazem mais posts pagos direcionados só pra elas do que pra eles.

O Facebook permite impulsionar posts para atingir apenas pessoas de determinadas idades, localidades, interesses e outros perfis. Entre os anúncios voltados para só um sexo, mais de 95% foi feito para mulheres e menos de 5% só a homens, mostra levantamento do G1 a partir de dados do Facebook.

Entre os dias 10 de setembro – a partir de quando os candidatos começaram a intensificar a campanha – e 1º de outubro, foram feitos 3.540 anúncios para impulsionar posts das páginas dos candidatos a presidente, de acordo com a Biblioteca de Anúncios do Facebook.

Deste total, 502 foram destinado a apenas um dos sexos. Entre esses, 485 foram voltados só para mulheres (96,5%) e 17 só para homens (3,5%).

Veja abaixo o número de posts e quantos foram para público só de mulheres ou de homens, por candidato.

Alvaro Dias (Podemos) - 5 anúncios, nenhum segmentado por sexo
Cabo Daciolo (Patriota) - Não fez anúncios no período no Facebook
Ciro Gomes (PDT) - 477 anúncios, 1 só para mulheres e 2 só para homens
Eymael (DC) - Não fez anúncios no período no Facebook
Fernando Haddad (PT) - 640 anúncios, 202 só para mulheres, 0 só para homens
Geraldo Alckmin (PSDB) - 589 anúncios, 64 só para mulheres, 1 só para homens
Guilherme Boulos (PSOL) - 126 anúncios, 21 só para mulheres, 0 só para homens
Henrique Meirelles (MDB) - 1513 anúncios, 180 só para mulheres, 14 só para homens
Jair Bolsonaro (PSL) - Não fez anúncios no período no Facebook
João Amoêdo (Novo) - 89 anúncios, nenhum segmentado por sexo
João Goulart Filho (PPL) - 42 anúncios, 2 só para mulheres, 0 só para homens
Marina Silva (Rede) - 59 anúncios, 15 só para mulheres, 0 só para homens
Vera Lúcia (PSTU) - Não fez anúncios no período no Facebook