Resultado de imagem para Carrefour e Walmart

O quanto sua experiência de ir ao supermercado mudou ao longo dos anos? Não muito, certo? Bom, devo te dizer que isso é apenas questão de tempo.

Atualmente ou em um futuro próximo, a inteligência artificial, blockchain e o mercado autônomo farão parte de suas compras.

O supermercado 100 por cento autônomo começou com uma iniciativa da Amazon, com o AmazonGo, que trouxe lojas de conveniência sem caixas.

Agora, as lojas estão disponíveis em vários locais dos Estados Unidos — e a expectativa é de abrir 3 mil unidades até 2021. Uma iniciativa semelhante já está disponível em São Paulo, criada pela Zaitt.

Os moradores de São Paulo também poderão saber, em breve, a procedência de seus alimentos. O Carrefour está utilizando a blockchain para o rastreamento de carne suína.

Os clientes podem conhecer, ao escanear QR Code, a localização da fazenda, nome do criador e como eram os cuidados com os animais. A intenção é de utilizar a tecnologia em outros produtos em breve.

E as experiências tecnológicas estão longe do fim. O Walmart inaugurou sua loja-laboratório de inteligência artificial na quinta-feira (25). Chamada de “Intelligent Retail Lab”, a intenção é de explorar a capacidade da tecnologia no varejo — e na prática.

Para tal, câmeras e sensores coletam e analisam dados sobre tudo o que está acontecendo na loja, sendo capaz de indicar a necessidade de reposição de produtos em prateleiras até a validade e frescor.

Hoje, a Amazon (com o Whole Foods) e o Walmart não competem apenas no mercado de alimentos, mas também no de tecnologia.

Entre outras iniciativas, o Walmart ainda está investindo nas compras por voz, enquanto a Amazon está estudando aceitar dinheiro em espécie como forma de pagamento nas lojas autônomas (o que ainda não é possível).