Sistema baseado em deep learning foi 94% mais preciso em comparação a seis especialistas radiologistas.

Sistemas baseados em inteligência artificial conseguiram detectar com mais precisão do que médicos pequenos tumores cancerígenos no pulmão a partir da análise de exames de tomografia computadorizada. O estudo foi publicado esta semana pelo Google juntamente com vários centros médicos na revistaNature Medicine.
Os estudiosos então aplicaram inteligência artificial na leitura de exames de tomografia computadorizada usados para rastrear pessoas em busca de câncer de pulmão. Em testes realizados com 6.716 casos com diagnósticos conhecidos, o sistema foi 94% mais preciso em comparação a seis especialistas radiologistas, apresentando menos falsos positivos e falsos negativos quando não havia nenhum escaneamento prévio.

"Temos alguns dos maiores computadores do mundo", afirmou o Dr. Daniel Tse, diretor de projetos do Google e autor do artigo, em entrevista ao The New York Times. “Começamos a querer expandir os limites da ciência básica para encontrar aplicações para trabalharmos”.