A Força de Defesa de Israel (IDF) afirma ter neutralizado uma “tentativa” de ataque cibernético ao lançar ataques aéreos em um prédio na Faixa de Gaza, de onde se diz que o ataque foi originado.

Como mostrado em um vídeo tuitado pelo IDF, o prédio na Faixa de Gaza, que os drones israelenses já destruíram, teria sido a sede da inteligência militar palestina do Hamas, de onde uma unidade cibernética de hackers estava tentando penetrar no ciberespaço de Israel.



“Nós frustramos uma tentativa de ofensiva cibernética do Hamas contra alvos israelenses. Após nossa bem sucedida operação de defesa cibernética, atacamos um prédio onde os agentes do Hamas trabalham. O HamasCyberHQ.exe foi removido”, disseram as Forças de Defesa de Israel no Twitter.No entanto, a Força de Defesa de Israel não compartilhou nenhuma informação sobre a tentativa de ataque cibernético do grupo Hamas, dizendo que isso revelaria as capacidades cibernéticas do país.

De acordo com Judah Ari Gross, do Times de Israel , o comandante da Divisão Cibernética da IDF disse: “Estávamos um passo à frente deles o tempo todo”, e “esta foi uma das primeiras vezes em que os soldados israelenses tiveram que se defender de um cyber”. ataque enquanto também luta uma batalha física “.

No entanto, não é a primeira vez que um país retalia um ataque cibernético com um ataque físico. Em 2015-16, o exército dos EUA supostamente matou dois hackers ISIS – Siful Haque Sujan e Junaid Hussain do grupo de hackers Team Poison – usando ataques de drones na Síria.

O comandante não revelou o nome do alvo, mas disse que o ataque cibernético do Hamas tinha como objetivo “prejudicar o modo de vida dos cidadãos israelenses”.