Daniel Alves beija o escudo do São Paulo ao ser apresentado Foto: Miguel Schincariol / saopaulofc.net

O efeito é nítido nos 15 dias pós-anúncio de Daniel Alves no São Paulo. A apresentação foi transmitida via YouTube e já atingiu a marca de 1,8 milhão de visualizações no canal do clube. É possível notar que quatro vídeos postados na última quinzena já fazem parte dos dez mais vistos na SPFC TV — três diretamente relacionados a ao lateral-direito.

Daniel Alves carrega consigo 40 títulos na carreira, o status de ter atuado em grandes clubes e ser o atual capitão da seleção. Ao fazer uma contratação deste quilate, já se espera o despertar do interesse do torcedor. Mas o São Paulo começou a surfar numa onda que extrapola os limites de arquibancadas e lojas oficiais. É o efeito na imagem do clube via redes sociais, ambiente que tem sido crescente gerador de receitas.

Quando traz para si uma figura com 45 milhões de seguidores em Twitter, Instagram e Facebook número superior a qualquer clube brasileiro —, o São Paulo se vê diante de um horizonte de possibilidades para aumentar engajamento. A chegada do lateral (que jogará como meia) vem a calhar em um cenário no qual expandir resultados de sócio-torcedor, bilheteria e venda de camisa deixou de ser objetivo único. Os clubes olham com mais carinho para a relevância na web. Potenciais parceiros comerciais também.

Buscando um diálogo mais direto com o torcedor, os perfis dos clubes ganham cara de influenciadores digitais. Quanto mais interações e visualizações, maior o potencial de monetização.