Resultado de imagem para vendas abadas 2020

O movimento começou faz algum tempo, mas os próximos dias são cruciais para quem faz da compra e venda de abadá e ingresso para camarote um ganha-pão. Faltando pouco – ou quase nada, para o início oficial do Carnaval, quinta-feira, o comércio informal ligado à festa já toma conta da internet, impulsionado por anúncios em plataformas como Facebook, Instagram, Twitter e OLX.

É fantasia do (bloco); um dia ou mais do camarote mais badalado do circuito; grupos e web comunidades permutando todo tipo de atração. Segundo os especialistas, as redes sociais são hoje para a folia umup” dos anúncios classificados no passado, ou aquela feira (de troca) realizada antes.

“A venda de abadás como um mercado informal já existia bem antes do advento das tecnologias. A diferença é que as plataformas, os softwares e aplicativos deram uma outra dimensão à coisa, facilitando as interações, conectando quem quer comprar de quem quer vender, seja um produto ou serviço.


Ainda com o “destaque” exercido pelo Facebook no que tange o comércio eletrônico, o Twitter “é uma ferramenta que tem se mostrado veloz” para esta finalidade, “com opções de filtragem refinada por localização e usuários”. “Enquanto o Instagram possui elementos como hashtags (sistema de busca), páginas e a opção do envio de mensagens diretamente ao vendedor”.