Crédito: Divulgação/SENAI-Cimatec

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) está com um edital aberto para ajudar empresas na produção de novas tecnologias e alternativas ao combate do coronavírus no País. Quinze projetos já receberam R$ 19 milhões em investimentos e ainda faltam mais R$ 11 milhões para os próximos selecionados.


A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) completam com o SENAI o núcleo de investidores do mega projeto.


Na primeira chamada, foram selecionados seis projetos para receber R$ 10 milhões em financiamento. A chamada mais recente selecionou nove projetos que tratam, entre outros itens, da adaptação de respiradores mecânicos veterinários para uso em humanos e o desenvolvimento de um monitor de capnografia autônomo, de fácil manuseio e portátil.


As propostas seguem a orientação de facilitar médicos e cientistas no combate ao vírus, além de usar tecnologia inovadora para atender demandas urgentes dos hospitais, como o uso dos respiradores, por exemplo, construindo novos equipamentos, ou implementando maneiras de reutilização dos modelos que estiverem próximos do vencimento.


“As soluções selecionadas ajudam a combater o coronavírus de forma inovadora, em uma demonstração de que o ecossistema brasileiro de inovação é capaz de dar respostas fundamentais ao país”, disse o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

O edital abriu 11 categorias para inscrição: Missão contra Covid-19; Aliança Industrial; Aliança + Produtiva; Empreendedorismo Industrial; Habitats de Inovação; Inovação em SST e OS; Inovação Setorial em SST e OS; Parcerias Internacionais; Rota 2030 – Aliança Automotiva; Rota 2030 – Desafios Automotivos; Rota 2030 – Produção e Digitalização.


Para saber mais sobre como funcionam essas categorias, se a sua empresa se encaixa em alguma proposta e os valores disponíveis para cada frente de pesquisa, acesse o Portal da Indústria clicando aqui.


Além dos capnógrafos, que analisam e registram a pressão de gás carbônico expirado pelo paciente com deficiência pulmonar, acelerando a obtenção de um bom diagnóstico clínico e liberando leitos mais rapidamente, existe um projeto da Repsol, que pretende criar um ambiente de supercomputação e inteligência artificial para dar apoio ao desenvolvimento de soluções na ciência biológica.


Nessa última chamada foi aprovado também um projeto para desenvolvimento de um sistema de desinfecção nos transportes públicos, da Sii Indústria e Tecnologia. Essa operação será feita com tecnologia ultravioleta do tipo C (UV-C) para esterilização durante a limpeza dos transportes.