Google é acusado de usar programa secreto para manipular leilões de publicidade digital


Durante anos, o Google operou um programa secreto que usava dados de leilões anteriores da bolsa de publicidade digital da empresa para supostamente ter vantagem sobre seus concorrentes no sistema de compra de anúncios. As informações estão em documentos apresentados em um tribunal do estado norte-americano do Texas, aos quais o jornal The Wall Street Journal (WSJ) teve acesso.

O acesso do Google às informações era feito através do programa chamado de “Projeto Bernanke”. Como ele não era divulgado para os editores que vendiam anúncios por meio dos sistemas de compra de anúncios do Google, isso gerava centenas de milhões de dólares em receitas para a gigante anualmente.

O uso das informações apuradas pelos leilões patrocinados pelo Google também resultou em negociações privilegiadas nos mercados de anúncios. Como o Google tinha informações exclusivas sobre o que outros compradores de anúncios estavam dispostos a pagar, diz o estado americano, a empresa podia competir injustamente com ferramentas rivais de compra de anúncios e pagar menos aos publicitários nos leilões.

Segundo o WSJ, os documentos apresentados na semana passada fazem parte de uma resposta inicial do Google ao processo liderado pelo estado do Texas, que foi aberto em dezembro e acusa a empresa de criar um monopólio na publicidade digital, alegando que tal prática prejudicou os concorrentes da indústria de publicidade e agências publicitárias.

No processo, o Texas alega que a iniciativa deu ao Google, controlado pela Alphabet, vantagem competitiva injusta sobre os concorrentes.

De acordo com o Valor, o Google reconheceu a existência do programa e disse que “os detalhes das operações do Projeto Bernanke não foram divulgados aos publicitários”. A empresa negou ainda que tenha havido ilegalidade ou uso impróprio das informações exclusivas que possuía nos leilões.

*Com Valor Econômico

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem